Orçamento Base Zero (OBZ)

Orçamento Base Zero (OBZ). O Orçamento de base zero é uma excelente forma de reduzir custos e maximizar lucros em sua empresa. Confira aqui como aplicá-lo.

Existem vários tipos de orçamento que se adequam a diferentes perfis de empresas. O Orçamento Base Zero (OBZ) é uma das formas de alinhar a Gestão Orçamentária ao Planejamento Estratégico de sua empresa.

Sua premissa básica é o corte de todos os gastos supérfluos e irrelevantes. É tipo um orçamento focado em se ter menor investimento possível, com o retorno das atividades que são mais lucrativas e lógicas dentro da empresa.

Mas como aplicá-lo, então? Confira abaixo nossas definições e dicas para aplicação.

O que é o Orçamento Base Zero (OBZ)

Também chamado de Orçamento Estratégico, o Orçamento Base Zero (OBZ) é aquele em que periodicamente se faz uma análise de todos os gastos feitos pela empresa, analisando-o e decidindo se ele é ou não necessário de ser mantido.

Ele inverte a ordem tradicional do orçamento incremental, fazendo que os gestores mostrem as necessidades de gastos mesmo depois de aprovados os projetos.

Para quais empresas é recomendado adotar o Orçamento Base Zero (OBZ)

Empresas novas não têm histórico de orçamento. Sem dados e movimentações financeiras para análise, é impossível fazer-se um orçamento incremental. Por isso, elas são algumas das empresas em que o OBZ pode ser adotado.

Ademais, a depender do ambiente interno, da volatilidade das operações e do mercado, e do contexto em que a empresa está inserida, é possível adotar eficazmente o OBZ.

Exemplo disso são empresas com outputs incertos, que tornam o OBZ interessante para se analisar periodicamente a real necessidade de cada gasto.

Vantagens do Orçamento Base Zero (OBZ)

O OBZ permite a alocação eficiente de recursos, baseadas nas necessidades da empresa e benefícios proporcionado pelos gastos.

Ele é capaz de detectar orçamentos inflacionados e facilita o orçamento em empresas cujos resultados ou outputs sejam difíceis de se calcular.

A motivação e a distribuição de responsabilidade no OBZ é maior, dando aos gestores um olhar crítico sob o serviço, sob os gastos e a empresa como um todo.

O OBZ também é capaz de identificar e eliminar processos obsoletos, que não geram valor para a empresa.

Apesar dessas vantagens, o OBZ tem a desvantagem de demandar muito tempo para ser aplicado, além de requerer treinamento específico dos gestores.

Riscos do Orçamento Base Zero (OBZ)

Um dos principais riscos do OBZ está relacionado à sua complexidade. Ele não é um sistema intuitivo e a análise periódica de cada gasto exige um esforço conjunto para se ter uma análise imparcial de cada recurso e atividade.

Além disso, o OBZ tem como importante fator o entrosamento entre os gerentes com uma cultura de imparcialidade para que os gastos sejam analisados dentro de cada departamento de acordo com as necessidades da empresa.

Além disso, o corte de recursos pode gerar conflitos entre setores e desmotivação.

Por isso, é primordial que sejam feitos treinamentos para que os gestores estejam altamente especializados, entendam e reproduzam o processo do OBZ corretamente e implementem a cultura desse tipo de orçamento de forma saudável dentro da empresa.

Estar aberto a receber críticas e sugestões é fundamental para que os recursos sejam direcionados adequadamente.

1. Planeje e defina em quanto tempo será feito o orçamento Base Zero

O OBZ deve ser feito periodicamente. Essa técnica não é complexa, mas demanda certo tempo de preparação e estudo. Por isso, o primeiro passo para implantar o OBZ é o planejamento.

Planeje como essa técnica será implementada, como os gastos serão analisados e justificados, critérios para análise e em quanto tempo o OBZ será refeito.

A definição do cronograma do OBZ é fundamental, pois é a partir dele que os gestores vão se organizar para executar os gastos adequadamente e mostrar a relevância de seus projetos.

2. Hierarquize os gastos

Ordene todos os gastos de acordo com sua importância estratégica para a empresa.

O OBZ visa à operação dentro do mínimo possível, por isso esse pensamento e essa hierarquização deve ser reproduzida dentro de cada diretoria.

3. Defina uma linha de corte

Depois de hierarquizados os gastos, estabeleça uma linha de corte em que tudo o que não seja necessário e lucrativo para a empresa seja cortado.

Defina os os custos essenciais, os custos de alta prioridade, os de média prioridade e os de baixa prioridade.

4. Elimine os gastos desnecessários

Depois de descobrir o papel de cada gasto dentro da empresa e o seu retorno para a mesma, é possível eliminar todos os gastos desnecessários. A hierarquização é, para esse fim, fundamental.

Entretanto, cabe ressaltar que a importância de cada gasto pode mudar entre um balanço e outro. Por isso, todos os gastos devem ser analisados, mesmo aqueles que já tenham passado por esse processo em outro balanço do OBZ.

É justamente por essa característica de ter que analisar todos os gastos que o OBZ é longo, mas também é por isso que ele proporciona todas as vantagens estratégicas e financeiras para sua empresa.

5. Busque por ajuda profissional para a implantação do OBZ

Como falado anteriormente, o OBZ exige certo grau de especialização dos gestores da empresa que o adote. Por essa especialização que o OBZ requer, pode ser uma boa ideia buscar assessoramento profissional.

Com a ajuda profissional, é possível escolher o tipo de orçamento que mais se adeque às necessidades de sua empresa, criar um cronograma, um planejamento e táticas e técnicas adequados para o que sua empresa exige.

Quer ser assessorado por profissionais e ter o orçamento mais adequado implementado em sua empresa? A CONTMAIS tem diversas opções e planos para que a vida financeira da sua empresa melhore, ajudando os gestores no processo de implantação de orçamento, seja ele base zero ou não.

Clique aqui e tenha a melhor assessoria contábil com soluções completas para a sua empresa.