papel de um gestor

Gestão é nova palavra de ordem entre os pequenos e médios empresários. E como o brasileiro adora uma nomenclatura, uma denominação, muitas vezes sem nem saber a origem ou até mesmo seu significado, ele simplesmente adota aquela expressão e entra na onda. Depois de algum tempo usando a palavra incansavelmente no seu discurso, para se apresentar e até para assinar um e-mail, a pessoa olha para dentro do seu negócio e os resultados são os mesmos. É nessa hora que uma voz vem lá no fundo da consciência pergunta:

“E aí, gestor, o que mudou?”

E a resposta é: nada! Porque não são palavras ou expressões que impactam positivamente e alteram os rumos do seu negócio. São ações!

Segundo o dicionário, a palavra gestão significa gerenciamento, administração, onde existe uma instituição, uma empresa, uma entidade social de pessoas, a ser gerida ou administrada. O objetivo é de crescimento, estabelecido pela companhia, através do esforço humano organizado.

Por isso, para conseguir gerir um negócio é preciso se organizar, pensar, analisar, planejar e, mais do que tudo isso, agir.

“Não sei”. “Não consigo visualizar de forma simples”. “A equipe não compreende a importância”. “Meu pessoal não sabe interpretar.” “Faço tudo sozinho e isso não é a minha prioridade”?

Todos esses jargões são usados por quem tem muitos números, muitos cálculos, muitos índices, ou nenhum, muitos projetos, muitos planejamentos e nenhuma ação.

Você Não Tem Uma Gestão por Resultados? Então, anote essas dicas:

Defina pilares e índices

Entenda a participação de cada um na gestão por resultados. Comece pelos mais importantes, lembrando que todos têm o seu valor.  Para cada área da empresa, faça um diagnóstico, enxergue o momento e defina parâmetros de acordo com o que é atual.

Processos

Designe pessoas responsáveis para cada uma das dações, datas, prazos, metas alcançáveis, estratégias para chegar lá e compartilhamento de resultados.

Faça uma gestão “à vista”

A ideia é simplificar. Em um canto da sua empresa, em uma parede, cole cartolinas e crie seu quadro de visualização.

Tenha ideias simples

Não complique! Perceba se não está se auto-sabotando com estratégias e técnicas super elaboradas para não atingir e voltar aos seus jargões, para a sua zona de conforto.

E antes que eu me esqueça, não há nada de errado em estar na sua zona de conforto. Desde que ela atenda os seus anseios. Errado é estar em algum lugar desejando estar em outro e não fazer nada para estar onde se deseja.

Evidencie para você, construa o hábito de estar sempre observando, se os resultados evoluíram ou não.

Gerir os negócios com foco nos resultados e acompanhando as finanças da empresa não é fácil. É mais simples não pensar, fechar os olhos para os fatos que estão ali e escolhemos não ver. Estar atento, acompanhar cada passo, cada processo, faz com que sejamos mais ágeis e que obtenhamos retornos que, antes, existiam apenas em sonho.

Artigo de Neide Nascimento – Sócia Diretora da Contmais Assessoria Contábil