Quando o tema é programa de Responsabilidade Social, a primeira coisa a ser pensada e falada é este assunto, por ser complexo, deve ser desenvolvido pelos governos ou empresas de grande porte, que dispõe de mais recursos financeiros e pessoal para investir neste tipo de ação.

No Brasil, um número pequeno de empresas e até pessoas, sabe o real significado e a importância da Responsabilidade Social, mesmo que venha ganhando relevância cada vez maior dentro do mundo corporativo.

Responsabilidade Social, vale destacar, é quando uma companhia, independentemente de seu porte, voluntariamente, adota posturas, comportamentos e ações que promovam o bem-estar dos seus públicos internos e externos. O conceito também está relacionado à ética e a transparência na gestão dos negócios.

Nos últimos anos, a Responsabilidade Social vêm ganhando espaço na agenda das micro e pequenas empresas, as maiores geradoras de empregos no Brasil, e diretamente inseridas nas sociedades locais, gerando renda e com grande poder de transformação da comunidade local onde está inserida.

Benefícios desse programa

Se sua empresa ainda não tem um programa de Responsabilidade Social, é bom você, empresário ou gestor, começar a levar este assunto mais a sério se quiser crescer e ampliar seus negócios e a sua imagem.

Os consumidores atuais e empresas estão cada vez mais ligadas a este assunto e dão preferência na hora das compras para quem desenvolve trabalhos voltados para o bem estar e o desenvolvimento da comunidade e dos cidadãos.

Além dos ganhos financeiros e de negócios, uma vez que micro e pequenas empresas hoje estão se transformando cada vez mais nos principais fornecedores de grandes companhias e multinacionais, manter um programa também ajuda no marketing da empresa. Práticas empresariais socialmente responsáveis dão credibilidade à gestão do negócio e facilitam na obtenção de crédito.

O portal da revista Pequenas Empresas Grande Negócios levantou cinco dicas fáceis de serem implementadas pelas micro e pequenas empresas:

1) Prefira contratar mão de obra local

2) Prefira contratar fornecedores da sua comunidade

3) Cumprimento das leis trabalhistas

4) Faça uma boa gestão de resíduos

5) Divulgue suas ações de responsabilidade social

Confira as dicas completas aqui e coloque a mãos na massa para fazer sua empresa crescer, fazer mais negócios e se destacar em um ambiente corporativo cada dia mais concorrido!

Deixe seu e-mail e receba conteúdos exclusivos

Com a economia e o quadro político praticamente estabilizado, e os indicadores apontando para mais um ano de expansão, com crescimento acima de 2% nos negócios ao longo do ano, os micro e pequenos empresários devem investir e contratar mais funcionários ao longo de 2020. Este é o resultado de uma pesquisa trimestral realizada pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) junto a empresários de todo o Brasil, que acaba de ser divulgada.

O levantamento apontou que 41% dos entrevistados devem aumentar seus quadros de funcionários e 73% acreditam na expansão do faturamento do seu negócio ao longo do ano. No que diz respeito a contratações, o percentual é o maior desde que o estudo foi lançado, em 2017.

Quando o levantamento é analisado pelo porte da empresa e o setor de atividade, a Sondagem Conjuntural revela que o otimismo em relação à economia é maior entre os donos de Empresas de Pequeno Porte (EPP) e os que atuam na Construção Civil.

O otimismo apurado pela pesquisa também se reflete no quesito novos investimentos: 65% pretendem realizar investimentos em 2020. Essa expectativa é liderada pelas Empresas de Pequeno Porte (69%)

INVESTIMENTO EM TREINAMENTO

Ao mesmo tempo em que as empresas pretendem ampliar o quadro de funcionários, elas se deparam com uma dificuldade vivida por mais da metade das empresas em funcionamento: a falta de profissionais qualificados, mesmo diante de um contingente de mais de 12 milhões de pessoas desempregadas no Brasil.

Para equacionar essa conta, 71,8% dos micro e pequenos empresários ouvidos disseram que devem dar oportunidades para pessoas sem experiência, oferecendo cursos e treinamentos. Vale destacar que as pequenas e médias empresas são as maiores geradoras de empregos no Brasil, com 72% dos contratos com carteira assinada.

Confira mais dados da pesquisa de Sondagem Conjuntural do Sebrae!

Deixe seu e-mail e receba conteúdos exclusivos